UNIDADE DE NEGÓCIOS

Viasoft Connect Connect Week

Facebook contrata firma de RP para difamar Google

12 de maio de 2011


Redação Portal IMPRENSAA rede social Facebook, de Mark Zuckerberg, admitiu ter contratado uma firma de relações públicas para plantar histórias sobre a gigante e maior concorrente Google, informa o site Mashable.com.
A conceituada empresa de RP, Burson-Marsteller, foi contratada para disseminar histórias que levantassem desconfiança sobre as práticas de segurança do Google. Ela teria abordado o blogueiro Chris Soghoian, pedindo para que ele escrevesse uma matéria criticando um serviço do Google.
Soghoian se recusou a escrever a matéria e divulgou os emails que trocava com representates da Burson. Ele perguntou qual empresa que pagaria pelo serviço, mas não recebeu a informação. Nos emails, a Burson dizia que “Era conhecido que o Google tem um histórico de infração dos direitos de privacidade dos usuários de internet norte-americanos.”. O email ainda diz que a mídia “não se focou em destacar na primeira página a abordagem detalhada das ações da Google em juntar informações – em muitos casos privada – sobre os internautas.”
Um representante do Facebook confirmou ao repórter Dan Lyons, do The Daily Beast, que contrataram a firma de RP por dois motivos. “Primeiro, por estarem preocupados com algumas ações do Google sobre questões de privacidade; Segundo, e talvez mais importante, porque o Facebook ressente o Google por usar informações de sua rede social para iniciar um serviço de rede social próprio do Google”. O Facebook foi procurado pela equipe do The Daily Beast, mas não comentou o caso.
Falhas de Segurança
Foi divulgada nesta quinta-feira (12), uma falha no sistema da rede social de Mark Zuckerberg que teria vazado informações confidenciais dos 500 milhões de usuários da rede, inclusive fotos e conversas nos chats, para terceiros, inclusive anunciantes. A empresa de segurança tecnológica Symantec alertou ao Facebook, que assumiu a falha, mas negou que a as informações teriam sido vazadas.
Segundo o Estado de S. Paulo, o vazamento ocorreria por meio de aplicativos instalados nos perfis, que instalavam “tokens”, uma chave que dá acesso às contas dos internautas e permite que os apps realizem certas ações pelos usuários.O Facebook disse que já tomou providências para melhorar a segurança do sistema.
Fonte: portal Imprensa

Contato