UNIDADE DE NEGÓCIOS

Viasoft Connect Connect Week

Nanotecnologia compõe grade de matéria em pós-graduação da UFPR

12 de abril de 2010


Para a maioria das pessoas a nanotecnologia é uma ciência abstrata e distante da realidade. Mas, na verdade, esta tecnologia compõe o dia a dia das pessoas de forma discreta, como em remédios que atuam em células doentes do organismo, na melhoria dos processos industriais, na geração de energia elétrica ou fabricação de eletroeletrônicos e compondo alimentos e cosméticos. Segundo o professor Francisco Filipak Neto, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), estima-se que mais de 800 produtos destinados ao consumidor já façam uso de nanotecnologia e que ela movimentará mais US$ 3 trilhões até o ano de 2015.

Toda essa modernidade tem o seu preço. As nanopartículas podem ser utilizadas para a degradação de poluentes que permanecem no meio ambiente e levam dezenas de anos para desaparecerem. “Juntamente com os benefícios há também um grande risco de que a poluição ambiental com nanopoluentes, as nanopoartículas e seus resíduos, tenha consequências para a saúde humana e dos ecossistemas. Essa é uma preocupação da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos e da Comunidade Européia, bem como é a nossa preocupação, em particular, porque se conhece muito pouco sobre o potencial tóxico desses nanopoluentes”, explica Filipak. Para desvendar quais os efeitos dos nanopoluentes aos seres humanos, Filipak coordena na UFPR uma pesquisa em peixes que irá responder algumas perguntas a respeito do reflexo desta tecnologia nos seres vivos que dependem da água para sobreviver.

Este tema é uma das matérias que compõem a pós-graduação em Biologia Celular e Tecidual, da UFPR, a primeira especialização Lato Sensu da área no sul do Brasil. O estudo das células e tecidos é uma especialidade que abrange diversas áreas, como a biomedicina, ciências biológicas, farmácia, veterinária, entre outras. “Abordamos um campo crucial ao desenvolvimento de novas tecnologias nas áreas afins das Ciências Biológicas. São diversas linhas de pesquisa disponíveis ao estudante, que irá entrar em contato com professores considerados autoridades no Brasil em suas áreas. Tendo em posse deste conhecimento, o profissional estará mais bem preparado para o mercado e, quem sabe, descobrir novas soluções no segmento”, explica Carla Wanderer, coordenadora do curso.

As inscrições estão abertas até o dia 12 de abril e serão feitas unicamente pelos correios, sendo que o candidato deve enviar os formulários – disponíveis no site http://biocel.bio.ufpr.br/especializacao – e os documentos necessários por Sedex ou carta registrada. As aulas iniciam no dia 23 de abril e acontecem às sextas-feiras (18h30 às 22h50) e sábados (08h às 18h30) e seguem até 04 de dezembro. Ao total são 40 vagas disponíveis, mais informações: http://biocel.bio.ufpr.br/especializacao.

Contato